segunda-feira, 15 de junho de 2015

Inscrições para o Prouni serão abertas na próxima terça-feira (16).



Prouni (Programa Universidade para Todos) vai oferecer 116.004 bolsas no segundo semestre de 2015. Serão 68.971 bolsas integrais e 47.033 parciais de 50%. A inscrição para o Prouni começa na terça-feira (16).

No segundo semestre de 2014, foram 115.101 bolsas. Entre elas, 73.601 eram integrais e 41.500, parciais. Com a diminuição nas bolsas integrais, o MEC (Ministério da Educação) segue a linha de economia adotada no ano, como havia ocorrido com o Pronatec, que terá o menor total de vagas desde o lançamento.

Critérios para tentar o Prouni
O Prouni dá bolsas para que estudantes de baixa renda estudem em instituições privadas que aderiram ao programa. Nesta edição, somente poderá se candidatar quem prestou o Enem(Exame Nacional do Ensino Médio) em 2014 e obteve nota maior de 450 pontos e não zerou a redação.

O candidato também não pode ter concluído o ensino superior e deve atender a pelo menos uma das seguintes condições:

- ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;

- ter feito ensino médio completo em instituição privada, na condição de bolsista integral;

- ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada como bolsista integral;

- comprovar deficiência;

- ser professor da rede pública de ensino em exercício.

O programa concede bolsas integrais apenas para candidatos com renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário-mínimo. Já as parciais são dadas no caso em que a renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de 3 salários-mínimos.
Cronograma
A primeira chamada do Prouni do segundo semestre será divulgada no dia 22 de junho, e os candidatos aprovados terão entre os dias 22 e 29 de junho para entregar, na própria instituição de ensino, os documentos que comprovem a renda familiar, para efetuar sua matrícula.
A segunda chamada pelo sistema será divulgada em 6 de julho, e a matrícula deverá ser feita entre os dias 6 e 10 de julho.

No primeiro semestre de 2015, o sistema do Prouni ultrapassou a marca de 1,4 milhão de candidatos a poucas horas do fim das inscrições. No período, foram ofertadas 213.113 bolsas, sendo 135.616 integrais e 77.497 parciais. Houve bolsas em 30.549 cursos e em 1.117 instituições de ensino superior privadas.

quarta-feira, 10 de junho de 2015


5 aplicativos para estudar para o Enem

Olá leitores!
Nos últimos anos, o Enem adquiriu uma importância ainda maior, já que virou porta de entrada para diversas universidades públicas e privadas. Pensando em ajudar os candidatos, fizemos uma seleção deapps para smartphones e tablets. Afinal, com o advento da tecnologia, não é preciso estar no quarto ou na biblioteca para estudar.
Para obter um bom desempenho no Enem ou em qualquer outra prova, é fundamental organizar os estudos. Um excelente aplicativo para auxiliá-lo nesta tarefa é o Gabaritar, disponível gratuitamente para Android. Com ele, é possível elaborar um planejamento e acompanhar seu progresso. Basta determinar quantas horas por dia deseja dedicar a cada matéria e o app vai ajudá-lo a cumprir o cronograma. Então, se você quer otimizar seu tempo e conseguir um resultado satisfatório, não deixe de fazer o download.
Que tal testar seus conhecimentos em simulados feitos com questões de provas anteriores? Esta é, sem dúvidas, uma das melhores maneiras de estudar e se avaliar. Em Pense+ (ENEM) e Simulado ENEM Vestibular, as perguntas são separadas de acordo com as categorias estipuladas pelo MEC: Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Linguagens. Ambos estão disponíveis gratuitamente para Android. Os aplicativos Descubra o ENEM e Enem seguem uma linha similar, porém, estão disponíveis para dispositivos com iOS. O primeiro é grátis e o segundo pago.
Dono de uma interface bonita e jovem, Enem: Quase lá para Android também traz questões de provas anteriores. No entanto, diferentemente dos outros aplicativos de simulados, ele oferece planos de estudo em que o usuário possui um número de perguntas para resolver em um intervalo de tempo. Há cinco modos disponíveis: Hiperativo (20 questões), Normal (60 questões), Quase lá (120 questões), Completo (180 questões) e o Missão impossível (360 questões). Pronto para o desafio?
A redação pode ser fator decisivo para um bom resultado no Enem. Além de estar antenado, acompanhar as notícias da atualidade e saber argumentar, você precisa conhecer técnicas de escrita para alcançar uma pontuação alta. O Manual Redaçãoapresenta um guia descritivo de cada gênero: dissertação, narração, descrição, carta, estilo jornalístico, crônica, poema, prosa, conto e fábula. O aplicativo também conta com bons exemplos de texto e oferece inúmeras dicas. Desenvolvido para Windows Phone, ele é grátis.
Encerramos a lista com Pérolas do Enem. Disponível gratuitamente para Android, o aplicativo reúne diversos erros cometidos por estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio. Além de render boas gargalhadas, as respostas inusitadas ensinam o que jamais deve ser escrito na prova. Faça o download e evite pagar mico.
Agora que você já sabe que seus gadgets podem ser grandes aliados ao se preparar para o Enem, não perca tempo. Baixe logo os aplicativos e bons estudos!
Até logo!
Fonte: Tech Tudo

http://canaldoensino.com.br/blog/5-aplicativos-para-estudar-para-o-enem

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Inscrições para o Sisu 2º/2015 estão abertas


Consulta aos cursos do segundo semestre de 2015 está aberta.
Inscrições para o Sisu devem ser feitas entre os dias 8 e 10 de junho.

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) estão abertas. Os estudantes têm até as 23h59 da próxima quarta-feira (10) para concorrer a uma das 55.571 vagas disponíveis no sistema. Este ano, 72 instituições de ensino superior oferecem cursos em 234 cidades de 25 estados do país.
Para participar, o candidato deve ter feito o Enem 2014 e não pode ter zerado a redação. É preciso acessar o site do Sisu e escolher até duas opções de vaga. Na inscrição é preciso escolher a ordem de preferência das vagas, a instituição, o local de oferta, o curso e o turno. Durante o período de inscrição é possível trocar de opção quantas vezes for necessário. Diariamente o sistema irá gerar notas de corte, ou seja, a nota mínima para que o estudante seja aprovado no curso.
No site do Sisu é possível conferir respostas para as principais dúvidas sobre a inscrição. Veja o especial do GUIA DO ESTUDANTE com 14 perguntas e respostas sobre a seleção e tambémconfira dicas de como escolher o seu curso.
Aplicativo de celular
O MInistério da Educação (MEC) também colocou à disposição mais uma ferramenta para encontrar o curso que pretendem fazer. Foi lançado o aplicativo para dispositivos móveis do Sisu, disponível nas plataformas Android e Windows Phone. Nele é possível ver as vagas disponíveis por curso e instituição, simular a nota final com base nas notas do estudante no Enem e fazer a atualização diária das notas de corte. Esta é a segunda versão do programa, que na primeira edição de 2015 do Sisu teve 206 mil downloads.
Além do Sisu, o MEC espera lançar, ainda em 2015, aplicativos de consultas de vagas para o Programa Universidade para Todos (ProUni) e para o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente nas lojas do Android e do WindowsPhone ou pelapágina de dispositivos móveis do Sisu.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Enem 2015 inscrições

Enem 2015 será em outubro e inscrições começam em 25 de maio

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 será realizado em 24 e 25 de outubro. As datas das provas foram anunciadas pelo ministro da Educação, Janine Ribeiro, nesta quinta-feira (14), em Brasília.
O ministro afirmou que a publicação do edital com todas as regras será feita na segunda-feira (18) no "Diário Oficial da União". Veja abaixo os destaques:DATA DAS INSCRIÇÕES
As inscrições ocorrem entre 25 de maio e 5 de junho. Para quem não conseguir isenção, a inscrição só será "confirmada" após o pagamento da taxa de R$ 63 até as 21h59 do dia 10 de junho.
TAXA DE INSCRIÇÃO
Sofreu aumento pela primeira vez em mais de dez anos. Até 2014, o valor era R$ 35. Agora, passa a ser de R$ 63.
ISENTOS DE TAXA
Estudantes da rede pública no último ano do ensino médio estão automaticamente isentos. Além deles, podem obter isenção candidatos que comprovarem carência, segundo as regras do edital.
CARTÃO DE INSCRIÇÃO
Deixará de ser impresso pelo MEC e enviado pelos Correios. Agora, terá que ser baixado ou consultado diretamente no site do Enem. O documento serve para orientação e não precisa ser apresentado no exame.

MEDIDAS DE SEGURANÇA
Não será possível usar o mesmo e-mail para fazer mais de uma inscrição. Além disso, todos os candidatos deverão informar número de telefone (celular ou fixo) válido. Eles também terão que criar uma pergunta e resposta de segurança no login.

O detector de metal será novamente aplicado nos locais de prova.

CONTRA FALTAS
Segundo o ministro, cerca de 30% das provas impressas acabam sem uso por causa das abstenções. Para tentar diminuir as faltas, o MEC afirmou que
estudantes liberados do pagamento que não forem às provas vão perder o direito à isenção na próxima edição.
DURAÇÃO DAS PROVAS
No primeiro dia, ciências humanas e ciências da natureza terão 4 horas e meia de duração. No segundo dia, linguagens, matemática e redação terão 5 horas e meia de duração.
HORÁRIOS DAS PROVAS
Portões serão fechados às 13h (horário oficial de Brasília). Mas, dessa vez, as provas só começam 30 minutos depois do fechamento dos portões.
SABATISTAS
Os sabatistas no Acre, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima poderão fazer as provas do sábado às 19h do horário local. Nos demais estados, a prova do primeiro dia para os sabatistas começa às 19h do horário de Brasília.
TOTAL DE PARTICIPANTES
Estimativa de mais de 9 milhões de inscritos. No ano passado foram 8,7 milhões, dos quais 6,2 milhões de fato compareceram.

Mudanças e economia
O MEC busca economia de até 20% no custo do Enem 2015. O valor alcançado pode ser de ao menos R$ 90 milhões com o aumento da taxa de inscrições, medidas contra faltas e mudança no envio do cartão de inscrição.

"Nossa meta principal é fazer o Enem, não fazer economia. Mas, se for possível, vamos fazer economia", disse Ribeiro. A estimativa é que o custo médio da aplicação da prova por estudante seja de R$ 52.

O ministro justificou o reajuste da taxa após 10 anos. "Tudo subiu na sociedade e esse valor está o mesmo desde muito tempo", disse Ribeiro. Ele afirmou que o reajuste considerou a variação inflacionária no período.
Haverá economia também com o envio dos cartões. De acordo com o ministro, serão poupados R$ 20 milhões apenas com o envio virtual da confirmação, segundo Ribeiro. O presidente do Inep, Francisco Soares, esclareceu que o cartão de inscrição terá que ser baixado pelo estudante no site do Enem. O documento serve para consulta e não precisa ser apresentado no local do exame.
Punição para faltas no Enem
Outra medida que trará redução de custos será o corte da isenção para alunos que forem liberados da taxa e faltarem ao exame deste ano. Quem faltar em 2015 terá obrigatoriamente que pagar a inscrição em 2016.

"Uma pessoa não pode ter isenção graças a recursos que a sociedade está pagando, e jogar isso fora. Há uma responsabilidade moral que é preciso assumir. E no escopo educacional, a ética é fundamental. Educação é também ter responsabilidade com os próprios atos", disse Janine Ribeiro.

Sessenta e cinco por cento dos faltosos do Enem de 2014 eram alunos isentos, segundo o secretário executivo do MEC, Luiz Claudio Costa.
A estimativa é que quase R$ 60 milhões serão poupados com o pagamento de inscrições por alunos que antes estavam insentos.
Justificativa das faltas
Sobre os estudantes isentos que não compareceram à prova, Luiz Cláudio afirmou que o MEC ainda vai definir as regras para justificar a ausência.
"Não posso dar resposta agora. No exemplo do atraso no transporte coletivo, como provar isso? A pessoa pode ser penalizada, mas precisamos ter certeza disso para não virar a justificativa padrão, como aquelas pessoas que ficam doentes e não têm atestado."