terça-feira, 29 de julho de 2014

IFCE abre inscrição para 2.240 vagas para cursos técnicos


O Instituto Federal do Ceará (IFCE) abre, no próximo dia 4 de agosto, as inscrições para o exame de seleção unificado para cursos técnicos. Serão ofertadas, para o semestre 2014.2, 2.240 vagas, distribuídas em 64 cursos de 17 campi.

As inscrições vão ocorrer via internet, através do site do IFCE, e podem ser feitas até o dia 22 de agosto. Já as isenções podem ser solicitadas até o próximo dia 13. Para ser contemplado, o candidato precisa entregar toda documentação comprobatória em um dos 17 campi que realizam a seleção.

As provas estão previstas para 28 de setembro (Subsequente e Concomitante) e 19 de outubro (Integrado e Proeja). O resultado final deve ser divulgado em 7 de novembro. O município onde realizar a prova pode ser escolhido pelo candidato, que tem a opção das cidades onde se localizam os 17 campi.

Confira os campi com vagas disponíveis

O IFCE oferece cursos nas modalidades concomitante, integrada e subsequente ao Ensino Médio, além do Programa de Educação de Jovens e Adultos (Proeja). Há oportunidades nos campi de Acaraú, Baturité, Cedro, Crateús, Fortaleza, Iguatu, Jaguaribe, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Quixadá, Sobral, Tabuleiro do Norte, Tauá, Tianguá, Ubajara e Umirim.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Brasil vai participar de consórcio para construção de telescópio internacional gigante




A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) decidiu se unir ao projeto do Giant Magellan Telescope (GMT) – telescópio que deve ser instalado no Observatório Las Campanas, no Deserto do Atacama, no Chile.
A informação foi confirmada pelo pesquisador Hernan Chaimovich, coordenador dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) da Fapesp. Segundo ele, a decisão é resultado de mais de dois anos de avaliações.
O consórcio firmado para a construção do GMT reúne atualmente 10 parceiros, entre eles instituições dos Estados Unidos, da Austrália e da Coreia. Mas, para financiar o projeto completo, o consórcio ainda buscava o apoio de novos parceiros.
Pela proposta, a Fapesp tem de desembolsar US$ 40 milhões para se unir ao projeto e garantir uma participação de 4% no tempo de uso do telescópio por pesquisadores do estado de São Paulo. A previsão é que o GMT entre em funcionamento em cerca de 10 anos.
Detalhamento
A função de telescópios da classe do GMT é identificar características de planetas e fenômenos cada vez mais distantes no universo. “Foi uma decisão tomada com muito cuidado, os pareceres científicos foram emitidos por assessores do mundo todo”, afirma Chaimovich.
Em novembro do ano passado, representantes do projeto GMT vieram a São Paulo para participar de um workshop promovido pela Fapesp para apresentar detalhes do telescópio gigante para a comunidade científica do país. Pesquisadores brasileiros da área de astronomia também apresentaram seus estudos durante o evento.
“Houve todo um processo cujo resumo foi colocado para o Conselho Superior da Fapesp pelo diretor científico e, quem decide no fim, por ser um investimento importante, é o Conselho Superior”, diz Chaimovich.
Segundo o pesquisador, está também em curso uma negociação entre a Fapesp e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI) para que o governo federal contribua com os custos da participação.
Com informações: Portal G1

Modelo de escola que tanto forma quanto aprova

Foco na disciplina do aluno, diálogo com a família, reforço escolar e professores adequados ao modelo de ensino e com dedicação exclusiva foram apostas na implantação do ensino médio integrado à educação profissional Desde 2008, o Governo do Ceará passou a articular o currículo do ensino médio à educação profissional. Uma das escolas a passar por essa mudança foi a Maria Dolores Alcântara, em 2009, construída como um Liceu Estadual, quatro anos antes, no município de Horizonte. Nos últimos cinco anos, a escola avançou em sistemas de avaliação, na aprovação de alunos em universidades públicas e na relação com os moradores da região. O resultado, porém, ainda não é regra no ensino médio do Ceará e põe em xeque a premissa de que todos devem ter o mesmo direito à educação de qualidade.
“Não dá, hoje, para eu pegar uma escola de ensino profissionalizante e comparar com uma escola de ensino médio regular. Não é que eles não tenham capacidade ou que a gente seja melhor ou pior. É no sentido de que as condições são diferenciadas, são modelos e propostas diferentes”, afirma a diretora geral, Ana Paula Nogueira.

A escola onde atua Ana Paula possui ensino em tempo integral, seleção diferenciada de professores e profissionais com dedicação exclusiva. Além do ensino médio regular, os alunos têm educação profissionalizante em áreas específicas e estágio garantido no último ano do curso.
O resultado é a aprovação de estudantes em cursos concorridos das universidades cearenses, como Medicina e Direito; número crescente de alunos premiados no Sistema Permanente de Avaliação do Estado do Ceará (Spaece) - de 11 agraciados com computador, em 2009, para 140 em 2013; dentre outros resultados positivos.
O critério de “seleção” dos alunos é o de notas no ensino fundamental, mas isso não garante qualidade na “bagagem” dos estudantes. Por iniciativa própria, a escola aplica testes diagnósticos nas turmas de primeiro ano e, a partir dos resultados, oferece aulas complementares, principalmente de português e matemática.
O doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará, Nicolino Trompieri Filho, aponta como falha do ensino o não aproveitamento de exames diagnósticos pelo Estado. A partir disso, erros se acumulam e dificultam os avanços, destaca ele.

O objetivo maior dessas “ilhas” tem de ser estabelecer a igualdade na Educação. No entanto, destaca Trompiere, alguns projetos podem sofrer descontinuidade a partir da mudança nas gestões de governo. “A meta é que ações como as escolas profissionalizantes se estabeleçam como políticas de Estado e não políticas de governo”, ressalta Ana Paula.


Projetos experimentais só se tornam valiosos para a sociedade a partir do momento em que podem ser replicados e ofertados para todos os públicos. “Precisamos de bons professores, bons diretores; e precisamos eliminar o componente político-particular na educação, deixar de lado interesses individuais em nome do coletivo”, frisa Célio Cunha, professor da Universidade de Brasília e doutor em Educação.
AS “ILHAS DE EXCELÊNCIA”, ESTÃO SENDO GRADATIVAMENTE AMPLIADAS E PODEM SE TORNAR REGRA NOS PRÓXIMOS 10 ANOS COM A APROVAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Célio Cunha, doutor em Educação, professor da UNB

SE HOUVESSE MAIS VERBA, MELHORARIA OU NÃO. NÃO DÁ PARA SABER. DINHEIRO NÃO É NOSSO DIFERENCIAL. O DIFERENCIAL SÃO OS RECURSOS HUMANOS QUE NÓS TEMOS.

Ana Paula Nogueira, diretora geral da escola
Maria Dolores Alcântara

AS PESSOAS ESTÃO TRABALHANDO E É IMPORTANTE QUE O GOVERNO ENXERGUE ISSO. O CEARÁ TEM UM POTENCIAL MUITO GRANDE E ELE PRECISA CRESCER UNIFORMEMENTE EM TODOS OS SETORES

Antero Gomes Neto, médico-cirurgião


TEMOS DE ESTABELECER A EDUCAÇÃO CONTINUADA COMO META PERMANENTE PARA TODAS AS ÁREAS. É UMA OBRIGAÇÃO ATUALIZAR OS PROFISSIONAIS, CONTINUAR EDUCANDO.

Neide Monteiro,
professora da UFC, doutora em Educação 




quinta-feira, 24 de julho de 2014

Fortaleza sediará maior evento de biotecnologia do mundo





No período de 14 a 19 de setembro, Fortaleza será a capital mundial da Biotecnologia. A Capital cearense estará sediando, no Centro de Eventos do Ceará, o “16th International Biotechnology Symposium and Exhibition – 16thIBS.2014”, considerado o maior evento de biotecnologia do mundo. A Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), parceira do evento, terá o seu presidente, Roberto Smith na lista de palestrantes convidados, ele apresentará o tema “O papel de Desenvolvimento do Governo do Estado do Ceará”.

O Simpósio deverá reunir cerca de 2 mil participantes de 80 países, incluindo profissionais e acadêmicos. O encontro é realizado a cada dois anos sob a coordenação da União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC). Esta é a primeira vez que o Brasil sedia o evento.

Pela primeira vez o encontro terá na sua programação o Fórum de Bionegócios, para promover o intercâmbio e a transferência de tecnologias entre a academia e a iniciativa privada, com o objetivo de aumentar a competitividade do setor produtivo nacional, especialmente no Ceará.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Abertas as inscrições para o Sisutec 2014.2


Agência Brasil | 08h48 | 21.07.2014

São ofertadas 289.341 vagas

Estão abertas a partir desta segunda-feira (21) as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Nesta edição serão ofertadas gratuitamente289.341 vagas em ensino técnico. As inscrições devem ser feitas no site do Sisutec.

Para concorrer, o candidato precisa ter concluído o ensino médio e feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado, sem tirar zero na redação. Pelas regras do Sisutec, 85% das vagas são destinadas a candidatos que cursaram o ensino médio na rede pública ou na rede privada como bolsistas integrais.

As áreas com maior oferta de vagas são ambiente e saúde (32,17%), comunicação (17,06%), gestão e negócios (14,10%) e controle e processos industriais (11,67%).  O candidato pode escolher até duas opções de curso. É possível alterá-las ao longo do período de inscrição. Uma vez por dia, até sexta-feira, será divulgada a nota de corte de cada curso.  As vagas são destinadas a instituições particulares; do Sistema S (Senai e Senac) e a instituições públicas.

O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 29 deste mês. A matrícula dos alunos selecionados será do dia 30 de julho até 1º de agosto. A segunda chamada será divulgada no dia 5 do próximo mês, e as matrículas estão previstas para os dias 6, 7 e 8.

As vagas remanescentes serão disponibilizadas online para todos aqueles que fizeram o ensino médio, independentemente de terem feito o Enem. O preenchimento seguirá a ordem de inscrição, no período de 11 a 20 de agosto. O candidato terá dois dias para fazer a matrícula na instituição, senão perde a vaga.

O Sisutec foi criado no ano passado, como faz parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronetec). O processo seletivo do Ministério da Educação ocorre duas vezes por ano.